Pedagogia

Ser pedagogo é estar num constante e eterno aprender.

29 de out de 2011

Diversidade e Inclusão

Diversidade e Inclusão
Quando assumimos uma sala de aula, não percebemos os alunos em sua individualidade e sim enquanto um grande grupo e tornamos este grupo em uma única unidade, e na verdade este grupo é constituído de singularidades cada um tem vivências e realidades de vida diferentes, algo que exige do professor um olhar observador para que este possa adequar as suas aulas a todas as realidades.
(...) ignorar a individualidade e argumentar que o grande número de alunos em cada sala de aula não permite a atenção individualizada a cada aluno, tem sido uma das principais causas do fracasso escolar, quando olhado do lado da ação do professor. 
(BRASIL ,2003:18)

Em nosso cotidiano, nos deparamos com crianças que sofrem maus tratos dentro da própria família, vivem em condições de miséria, cheiram cola, outros crescem brincando no computador e sendo assim cada um tem uma realidade que diferencia o processo de aprendizagem. E considerando estas diversidades, não é permitido esquecer-se dos alunos que apresentam deficiência física, mental e outras, e cabe a escola promover uma aprendizagem significativa para seus alunos.
Quando se fala em necessidades especiais, estamos nos remetendo a um currículo que seja flexível e adaptável, pois este deve estar ao alcance do aluno, para que este não seja apenas um vulto perdido na sala ou somente uma vaga preenchida. Contudo,
(...) o que se almeja é a busca de soluções para as necessidades específicas do aluno e, não, ao fracasso na viabilização do processo de ensino aprendizagem. As demanda escolares precisam ser ajustadas, para favorecer a inclusão do aluno.  (BRASIL, 2003:38)

                Adequar o currículo de forma que o aluno que apresenta necessidades especiais possa sentir-se ativo em sala de aula, é a única forma de evitar a exclusão. Embora ainda seja compreensível a falta de experiência por parte dos docentes, pois estes encaram uma nova situação, e cada nova situação é um novo desafio a ser vencido e ainda contam com salas cheias e poucos recursos para não dizer praticamente nada de recursos.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
BRASIL, Seesp/Mec. Ensinando a diversidade: reconhecendo e respondendo as necessidades Especiais. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial, 2003. (Série: Saberes e Práticas da Inclusão)

_________________. Estratégias para a Educação de Alunos com necessidades Educacionais Especiais. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial, 2003. (Série: Saberes e Práticas da Inclusão)

4 comentários:

  1. Isso mesmo Marcia, ser educador é estar sempre aberto a novos saberes e aprender a cada dia uma nova lição. Parabéns pelo blog, abraços.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Oi Márcia! É extremamente importante esta postagem e abordagem que dás no teu blog sobre Diversidade e inclusão. Um texto que nos ajuda a refletir sobre nossa verdadeira atuação enquando docentes. Quero comentar a disposição com que colocaste teu blog, os recursos apresentados enriquecem muito para nós tenhamos vontade de retornar e acompanhar este importante espaço de informação e reflexão. Parabéns.

    ResponderExcluir
  4. Oi Marcia concordo com a Cládia e com o Eduardo quando falam sobre a postagem desse texto, realmente ele nos faz refetir sobre o nosso papel dentro da educação.Parabéns. bj

    ResponderExcluir