Pedagogia

Ser pedagogo é estar num constante e eterno aprender.

7 de fev de 2012

Medo e Humildade: novos caminhos

                   Medo e Humildade: novos caminhos

    Ao fazer a leitura do livro “QUAL É A TUA OBRA”,  de Mario Sergio Cortella (Filósofo, com mestrado e doutorado em Educação pela PUC-SP) fui conduzida a refletir sobre sentimento e a forma como lidamos com ele.
    Sendo que o ‘medo’ é um sentimento que particularmente me rodeia sempre que vou realizar uma tarefa ou até mesmo tomar atitudes ou decisões. O medo sempre circula em meu entorno, por mais que eu acredite que determinada tarefa esteja correta tal sentimento me deixa repleta de incertezas. Certa vez meu marido em conversa me disse: ‘tens que ser mais segura, não temas o erro, errar é humano, e não tem aquele que por algum motivo ou outro não tenha errado um dia’. Mas mesmo assim eu continuava não aceitando a oportunidade de cometer um erro, preferia não arriscar para não errar.
    E a leitura reflexiva de CORTELLA me permitiu refletir a cerca de mim mesma com relação a este medo tornando-me assim mais aliviada.
    O medo, a dúvida a humildade de reconhecer nossas incertezas e que somos eternos aprendizes nos conduzem a novos caminhos e “ ser capaz de arriscar é uma das coisas mais inteligentes para mudar” (CORDELLA, 2008:29). Aquele que não agrega humildade a seus valores acaba por não disponibilizar a capacidade de buscar novas descobertas, pois pensa que seu conhecimento já está pronto e acabado, e tal atitude não se faz mais relevante em nossa sociedade que se encontra em constante construção de novos saberes descobrindo assim grandes potenciais.
    Desta forma a coragem de enfrentar o medo diante das inovações educacionais nos permite ser audaciosos que segundo Immanuel Kant: “Avalia-se a inteligência de um indivíduo pela quantidade de incertezas que ele é capaz de suportar”, de maneira que suportar nos conduz a continuar e não ficamos estagnados diante do que para nós é algo novo.
    Contudo, ter a capacidade de sermos humildes nos fornece a oportunidade de conhecer o outro de forma integra compartilhando saberes, experiências e relações preservando assim a dignidade do outro e a nossa própria atitude, tal atitude nos permite ser éticos.

REFERÊNCIA
CORTELLA, Mario Sergio. Qual é a tua obra? Inquietações propositivas sobre gestão, liderança e ética. 5°ed. Petrópolis, RJ. Ed. Vozes. 2008

Nenhum comentário:

Postar um comentário